A diabetes mellitus é uma doença caracterizada pelo excesso de açúcar no sangue e surge devido à atuação ineficaz da insulina, o hormônio responsável por baixar a glicemia do corpo. Uma de suas principais complicações é o pé diabético, quando a pessoa machuca a área e contrai uma infecção.

A condição surge quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia são mal controlados. Mudança de temperatura, alteração da cor, inflamação e deformidade dos ossos estão entre os principais sintomas, além de formigamento, sensação de queimação, rachaduras e frieiras.

A situação fica ainda mais grave com a falta de sensibilidade. “O principal risco é o ferimento sem que o diabético perceba, um simples machucado pode evoluir rapidamente para uma ferida grave e de difícil cicatrização”, explica Cristina Lopes, podóloga e coordenadora técnica da Doctor Feet.

A prevenção é a melhor solução para não sofrer com as consequências do problema. O tratamento adequado evita que o tecido inicie um processo de necrose, tornando irreversível a recuperação e levando à amputação do membro afetado. Ao menor sinal de mudança, procure um médico imediatamente!

 

CUIDADOS

 

Higiene diária

Dedos, calcanhar e toda as áreas do pé devem ser lavadas diariamente com água morna e sabonete. É importante não esfregar a pele ao secar com uma toalha macia. Para finalizar, aposte em um creme hidratante para evitar ressecamentos.

 

 

Unhas e calosidades

“O diabético deve evitar realizar o corte das unhas em casa para não se machucar e para não encravar com um corte incorreto. O ideal é que um podólogo faça isso para ele, pelo menos uma vez por mês”, ensina Cristina. O mesmo vale para o tratamento de calosidades, não é indicado tentar mexer para resolver o problema sozinho.

 

 

Umidade

O paciente deve evitar fazer escalda pés ou manter os pés úmidos após o banho. Uma forma de evitar que a pele fique frágil, quebradiça e favorável a proliferação de fungos, que causam micoses ou frieiras.

 

 

Escolha do calçado

O sapato deve ser fechado e macio para não causar atrito nos dedos ou nas laterais. Por isso, prefira os sapatos baixos e evite andar descalço, com sandálias ou chinelos para o pé não ficar exposto. O calçado confortável para o pé diabético vai evitar feridas e rachaduras, e ainda oferecer segurança na caminhada em caso de falta de sensibilidade. “Procure pelos forrados, eles não possuem costura, são confeccionados com material mais mole e evitam possíveis ferimentos”, finaliza a profissional.

 

Saiba mais em: https://www.uol.com.br/vivabem/especiais/conteudo-publicitario/doctor-feet-pe-diabetico.htm#pe-diabetico