31/08
Podologia e Corrida, Corredores devem dar atenção aos pés…

Correr é uma prática saudável, faz bem para a cabeça e para o corpo. Mas quem pretende praticar corridas deve ter alguns cuidados com os pés, especialmente se deseja participar de maratonas ou corridas de longo percurso. A pressão sobre os pés é grande quando estamos correndo. A consequência disso é uma sensibilidade maior, além de alguns danos que podem impedir que a pessoa volte a correr ou consiga usar calçados nos dias seguintes. Para evitar problemas, é preciso preparar os pés e dar uma atenção especial a eles depois da prática esportiva, então vamos ler atentamente as dicas de Cristina Lopes.

Cristina Lopes, coordenadora técnica da Doctor Feet, sugere que não se corte as unhas muito curtas e se evite retirar totalmente as cutículas, além de não lixar demais a sola dos pés. “Essas são proteções naturais do corpo que impedem a sensibilidade, a formação de infecções por bactérias, calos, frieiras e, principalmente, o aparecimento de bolhas”, alerta.

A especialista recomenda também usar apenas calçados já amaciados. Nada de estrear tênis novos no dia do evento, evitando surpresas desagradáveis, como descobrir que o calçado aperta demais ou causa desconforto em alguma parte do pé. Outra dica é manter a pele hidratada, pois isso evita o atrito com a meia e impede a formação de bolhas.Doctor Feet

Depois da corrida, a especialista recomenda fazer escalda-pés com água quente para relaxar e uma massagem com hidratante nos pés e nas pernas. Vale também pingar na água algumas gotas de óleo essencial de melaleuca, que tem ação antifúngica, ou óleo essencial de lavanda, que é relaxante. Caso não encontre os óleos à venda, Cristina sugere juntar à água um bom punhado de sal, que ajuda na circulação.

Para aqueles que ganharam bolhas nos pés, a podóloga recomenda não estourá-las, mantendo os pés limpos, secos e em repouso. Caso a bolha estoure, não remova a pele, pois ela servirá de proteção natural para a região machucada. “Fique mais atento para manter a área limpa, pois o risco de infecção passa a ser maior”, afirma Cristina Lopes.

Fonte: Por que eu corro
Compartilhe: